Copie esse link no seu navegador e vá direito para o Vende-se Cadeiras: http://vendesecadeiras.blogspot.com.br/
Esse blog não esta sendo mais atualizado!
VISITE ESSE NOVO ENDEREÇO:

Fanfic Destinos do Luar - Capitulo 3 (2ª parte)

terça-feira, 9 de março de 2010

Esse capitulo é continuação do 3º capitulo.

Capitulo 3 - Franqueza (2ª parte)

Eu ia avançar um paço, quando um anjo muito bom abriu a porta da lanchonete fazendo um pouco de ar puro entrar, e minha cabeça clarear um pouco. O que eu estava fazendo! Respirei fundo, prendendo minha respiração, eu ia ter de alguma forma que agüentar.

Não queria preocupar Jake com minhas fraquezas, então decidi ficar calada e tentar expulsar estes pensamentos de mim.

Jake e a menina - a qual o nome não prestara atenção por causa de meus pensamentos absurdos- conversavam. Jake havia reconhecido-a.

- Hum, mas você esta muito diferente, ta mais bonito. - disse ela olhando-o intensamente e corando fracamente as bochechas.

Achei muito estranho aquilo, uma pontada de angustia misturada com alguma outra coisa me atingiu, eu tinha vontade de abraçar Jake. Eu sinceramente não entendi o porquê deste sentimento, mas era esquisito.

- É eu... Mudei um pouquinho estou maior não é!! - Falou Jake um pouco sem graça. - Deixe eu te apresentar essa é minha amiga Nessie.

Ela se virou para me olhar, - dando um suspiro que eu não entendi o motivo - com um leve sorriso no rosto. Jake também me olhava.

Mesmo sem respirar eu sentia a essência de seu cheiro misturado com os das outras pessoas.
Por eu ser meio humana não conseguia manter o ar por muito tempo, estava me esforçando para poder assegurá-lo mais um pouco, mas meu limite estava no fim, eu tinha de colocar um pouco de ar para dentro, sabia que se respirasse podia perder o controle de novo, mas o fiz. O cheiro exuberante fez minha garganta queimar enlouquecida.
Minha mandíbula de apertou, e minhas pupilas aumentaram, o clima ficou pesado ao meu redor enquanto eu tentava manter meus pensamentos controlados.

Eu não podia mais ficar ali, tão perto daqueles humanos, eu não era tão forte a ponto de conseguir isto. Olhei a menina com culpa e depois para Jake com tristeza. Baixei a cabeça com muita decepção de mim mesma, me virei para a porta e com passos grandes, mas que demonstravam minha aflição, saí da lanchonete.

Quando coloquei minha cabeça para fora soltei o ar que restava e me senti aliviada por poder respirar novamente, mas o peso da culpa que sentia era ainda maior.

Comecei a lembrar de meus pensamentos, meus olhos ardiam com o pesar, a angustia aumentava cada minuto.

Eu sou fraca, tão fraca que mal pude me conter, como vou poder fazer parte de uma família ou ter amigos humanos se não consigo nem controlar meus proprios pensamentos, perder o controle de mim mesma. O que iria dizer ao meu pai quando ele descobrice o quanto eu fui fraca.
O que poderia falar a minha família, será que eles irão me impedir de ver vovô e o resto dos Quileutes? E Jake, ele confiou tanto em mim, me trouxe aqui para nos divertirmos e eu acabei estragando tudo. Eu sem duvida era um mostro.

Ninguém tem idéia de quanto ódio eu sentia de mim mesma, era como um aperto no peito, como se alguém tivesse me ferido, mas não, eu mesma tinha me ferido de um modo que não pensei que fosse possível, eu estava triste não apenas por ter perdido o controle, mas por ser a única que era diferente, estava confusa, me sentia sozinha mesmo sabendo que em menos de trinta segundos, Jake estaria ao meu lado.

Eu estava chorando, chorar não era muito comum para mim, mas quando eu chorava parecia que tudo que eu carregava nas costas caia como chuva. Sentei no beiral da calçada perto do carro, não havia tanta gente na rua como antes.

Tudo isso aconteceu em menos de vinte segundos, Jake saia da lanchonete, e estava me procurando. Mas eu apenas escurava os distintos passos dele no chão.

Levemente senti uma mão em meu ombro, como consolo, ele se sentou ao meu lado, seu corpo quente era meu refugio. Estar com Jake era como se eu estivesse no lugar certo, o único lugar que eu podia ser eu mesma.

Abrasei-me nele sentindo seu carinho. Tinha medo de olhar em seus olhos e ver a rejeição pelo que eu havia feito, mas eu tinha que mostrar o quanto estava arrependida pela minha atitude. Então o fiz. Olhei-o, muito levemente subi meu olhar para seus olhos que me fitavam, eles não estavam não do jeito que eu pensei que estariam, havia culpa neles. Por que ele se sentia culpado?

Não agüentei ver aquilo.

– Jake, a culpa foi toda minha me perdoa eu sou fraca, deveria ter te contado que estava com fome. Oh! Me perdoe não conseguiria viver sem...

Ele colocou seu dedo sobre meus labios, para que assim eu me calace. E então começou a dizer.

–Nessie, por favor, pare! A culpa não é sua eu que te trouxe aqui, não cheguei a pensar direito, eu fui egoísta e pensei mais em mim. Você que tem de me perdoar.

Eu quis muito protestar aquilo mas ele não deixou, sabia que não havia jeito de fazer ele mudar de idéia então assenti.

Ele se levantou, estendeu a mão para me ajudar e nós fomos em direção ao carro, ele abriu a porta para mim, e tomou seu lugar no assento do motorista.
Agora com o ar puro e o cheiro aconchegante de Jake eu me sentia muito melhor e no mesmo tempo assustada.

–E agora!? - Eu perguntei.
Jake me olhou. – Bom agora... Nós vamos terminar nosso passeio e depois voltaremos para Forks. Mas dessa vez vou pensar melhor para onde iremos! Que tal um lugar aberto, e sem influencia de humanos, só eu e você. O que acha?
Eu fiquei tão feliz, poder apagar o que havia acontecido, e nada melhor do que estar com Jacob.
Acenei com a cabeça positivamente.
Reparei que ele me olhava firmemente nos olhos, como se me cuidasse, talvez com admiração.
Olhei nos seus olhos com muito carinho, e por um instante me perdi naqueles lindos olhos achocolatados. Nesse momento eu me sentia “completa”, Jake era o melhor amigo do universo, seu olhar me deixava um pouco sem graça, mas muito feliz e confortada. Eu senti meu coração acelerar, parecia que o mundo tinha parado, aquele olhar era meu refugio.

O que eu estava sentindo? O que era aquilo que queimava em meu peito e me dava falta de ar? Por que eu me senti assim com Jake? De algum jeito eu iria descobrir!

4 comentários

Samanta disse...

Eae galera... tão gostando da fic??
não tem nenhum cometario eu não vou mais escrever se ninguem ta lendo :/

Cade os comentarios?? to esperando!! :d

BJUss amo vcs S2

24 de março de 2010 20:16
Juliana disse...

eu adorei espero que continue

ja estou curiosa

26 de março de 2010 18:07
Kelinha disse...

amei...parabéns, voce tem muito jeito.
escreva mais... agora estou curiosa pa ler mais, para ler o resto da história...:)

15 de abril de 2010 14:12
elisaa disse...

Nem pressisa comentra é maravailhosas as historias.Meus parabens continue a fic.... porfavor to ficando mega curiosa..bjss

1 de maio de 2010 17:15

Postar um comentário

Não tem conta no google ou algo do tipo?!
Não tem problema pode comenta de qualquer jeito.

PS: Caso tenha algum nome ou palavra errada no blog nos avise por favor. Afinal errar é humano.

Muito obrigada pela visita e pelo comentario. Você sem duvida é muito importante pra gente.

Related Posts with Thumbnails